O rio da comunidade

Os vários “olhos d’água” vão se juntando e formam o rio. O rio, por onde passa, vai gerando vida dentro e fora dele. Dentro ele cria os peixes e as plantas que vivem na água. Por fora dele, o rio torna o terreno bom para a plantação. O rio é uma fonte de vida. Por onde passa o rio espalha vida. Mas quando é poluído pelos agrotóxicos e todo tipo de sujeira, o rio mata a vida dentro e fora dele.
A comunidade é como o rio. Nasce dos pequenos Grupos de Reflexão, à luz da Palavra de Deus e no meio de muitas dificuldades. Mas, na medida em que vai se organizando vai se tornando uma fonte de vida. Vai criando vida dentro e fora dela.
A comunidade gera vida dentro dela quando vai reunindo as pessoas para celebrar junto a fé em Deus através da missa e do culto dominical. Quando organiza a catequese, quando organiza as várias pastorais para atender às necessidades de todos, quando faz o trabalho missionário de ir atrás dos afastados, é sinal de que a vida está correndo. É sinal de que o rio da comunidade está trazendo mais vida para todos.
Também, a exemplo do rio, a comunidade cria vida fora dela. Ela vai percebendo que Deus quer vida em abundância para todos. A verdadeira comunidade procura tornar produtivo todo terreno em volta dela. Assim ela incentiva as Associações de moradores, de produtores, etc. Ela organiza mutirões em favor dos mais necessitados, incentiva o organização sindical e a participação honesta e sadia do cristão na política para poder transformar a sociedade.
Assim, a comunidade gera vida dentro e fora dela. Mas, é bom lembrar que não podemos deixar poluir o rio da comunidade. Quando entra a desunião, a briga pelo poder, a fofoca, a politicagem, o rio da comunidade fica poluído e mata a vida. Mas quando a gente fica firme na Palavra de Deus, o rio encaichoeira e se purifica devolvendo a vida.
“O rio da comunidade, vai vencendo os desafios, / no campo e na cidade, se ajunta com outros rios”

Comentários